14/07/2019

VENENOS MIDIÁTICOS


Parte superior do formulário
Por Dirceu Pio

        Acusam o governo Bolsonaro de não ter um plano de vôo, mas não é verdade – ele tem sim e é consistente!

        Anda nesta quinta-feira,11-06,  na calada da noite, no Jornal da Globo, a voz potente de Arnaldo Jabor entrou no vasto coro que parece amaldiçoar o novo governo: “É um governo sem rumo, sem projeto...”

        São tendenciosos, preconceituosos, agourentos e mal informados. Se não, vejamos: deixemos de lado o super Ministério da Economia e o da Justiça e Segurança (de tão consistentes, ninguém ousa criticá-los) e prestemos atenção nos demais, por exemplo, no Itamaraty, no Agronegócio e no Meio Ambiente, os mais criticados...

        Há ação – e ação vigorosa! – em todos eles. Pode-se dizer com segurança que enquanto os cães ladram, a caravana passa...

        Em seis meses, o navio das relações internacionais que foi visto como próximo do naufrágio já foi colocado novamente no rumo certo e tem queimado etapas na conquista de patamares nunca antes sequer sonhados.

        Sim, seremos parceiros privilegiados no desenvolvimento das tecnologias de ponta de Israel; ingressaremos na OCDE com apoio dos Estados Unidos; já fechamos o almejado acordo do Mercosul com a União Europeia; fortalecemos as relações comerciais com o mundo árabe; assinamos a Carta de Paris; tomamos posição firmes contra todas as ditaduras do continente (Cuba, Venezuela, Nicarágua) e sinalizamos que não nos interessa a volta do bolivarianismo via Cristina Kurchner na Argentina... Nada mal para um “desastre iminente”, não ?

MENTIRAS DE PERNAS LONGAS

        O problema está em que o fakenews, a notícia enviesada, propositalmente retorcida, corre bem mais que a verdade.... Observem com atenção as informações que, recentemente, circularam nas mídias nacionais e internacionais sobre o desmatamento na Amazônia: “Nos seis primeiros meses deste ano (o que vale dizer, no governo Bolsonaro) o desmatamento na Amazônia aumentou 88% em relação ao mesmo período de 2018”.

        É uma manchete que carrega duplo sentido: pode significar tudo e ao mesmo tempo nada... Oitenta e oito por cento do que, cara pálida? A resposta quase nunca aparece, é propositalmente escondida ou surge numa analogia indecifrável: “A área desmatada corresponde a uma Belo Horizonte (???)" - assustar o mundo externo, eis a intenção...

        O ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles, na entrevista recente ao time da Globonews e à Jovem Pan, esclareceu muita coisa sobre o desmatamento da Amazônia e chamou atenção para duas causas importantes: abusos por Ongs na aplicação dos recursos milionários do Fundo para Preservação da Amazônia, mantido pelos governos da Noruega e da Alemanha e o abandono das famílias retiradas das unidades de conservação.

        Os governos do PT – explicou Salles - criaram diversas unidades de preservação na Amazônia e deixaram em todas elas um enorme contencioso, formado pelas famílias de ocupantes retirados das áreas e esquecidos, sem indenização ou realocação.

Indignadas, muitas dessas pessoas começaram a desmatar... ”Se quisermos conter o desmatamento temos de socorrer essa gente... é o que estamos fazendo”, disse Ricardo Salles.
       
        O município de Belo Horizonte tem pouco mais de 300 quilômetros quadrados de área territorial; estima-se que a área total desmatada na região Amazônica seja de 754.840 quilômetros quadrados, quer dizer menos de 10% da área total de floresta, estimada em 5 milhões e 500 mil quilômetros quadrados...

MA FÉ SE AMPLIA

        A má fé e a má vontade se repetem nas informações que perpassam o mundo sobre o uso de agrotóxicos pelo agronegócio. Em seis meses, o governo federal liberou mais agrotóxicos do que em todo o governo Dilma Rousseff, dizem manchetes sensacionalistas em mídias que adoram driblar a verdade.

        O assunto já foi exaustivamente explicado tanto pela ministra do Agronegócio, Tereza Cristina, como pelo ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles. Não adiantou porque o propósito não é informar, é malhar o governo.

        Nenhum agrotóxico é liberado para uso no campo sem passar por filtros de três ministérios diferentes: Meio-Ambiente, Agronegócio e Saúde (Anvisa). Nos governos de Dilma e Michel Temer – explicou Ricardo Salles – a análise de novos produtos começou a atrasar e isto é muito complicado porque o agronegócio perde o ciclo evolutivo do fabricante, na oferta de produtos cada vez menos tóxicos e mais eficazes.

        O que fez o atual governo? Ricardo Salles responde: “Ampliou a capacidade de análise da Anvisa tornando-a mais ágil. É isso que explica a liberação de um número maior de produtos este ano, um procedimento que só favorece o agronegócio e os consumidores de produtos agrícolas no Brasil e no mundo”. 

Vistas aérea da Selva Amazônica 

29/06/2019

O PAÍS DE GILMAR

Por Dirceu Pio

        Pensem num país democrático, mas tão democrático que os ladrões, estupradores e latrocidas vivam acima da lei e só encontrem punição – se houver a tal Justiça Divina – após a morte. Esse é o país do sonho do ministro Gilmar Mendes, 67 anos, nascido em Diamantino (MT), indicado para o STF por FHC ainda em 2002.

        Há muito tempo faz campanha contra a Lava Jato e é um dos que se regozijam com o crime perpetrado pelo The Intercept.. Não há mais nenhuma dúvida de que o hackeamento de conversas entre promotores da Força Tarefa de Curitiba e o juiz Sérgio Moro será usado por ele para tentar anular todos os atos da Operação Lava Jato no Paraná, com a libertação de Lula, Eduardo Cunha, José Dirceu e outros medalhões ou medalhinhas que se encontram presos em Curitiba.

CONTRADIÇÕES

        Seus argumentos são frágeis e contraditórios. Só por muita insistência dos jornalistas, admitiu, na entrevista de quarta-feira (26-06) à Globonews, que o hackeamento de conversas de autoridades é crime, mas “ofereceu pela primeira vez a prova de uma prática ilegal mas usual em todo o judiciário brasileiro”, o que define como promiscuidade entre juízes e promotores... “é usual, mas ilegal e irregular”, acrescentou...

        E a consequência disso, qual será? “Se for confirmada a veracidade das conversas entre juiz e promotores, todos os atos de Sérgio Moro terão de ser anulados”...

        E continuou: “Gozado é que ninguém desmentiu até agora que as conversas tenham existido”. O que não é verdade: promotores e juiz já denunciaram que houve sim edição e fraude dos diálogos. E há algo ainda mais grave: tecnicamente, é impossível certificar a veracidade de conversas hackeadas – é o que dizem os especialistas.

IMENSA VONTADE

        A vontade é tanta de destruir a Lava Jato que o juiz da Suprema Corte pisoteia o ordenamento jurídico (se a tal prática ilegal é comum em todo o Judiciário, por que só os atos de Moro devem ser anulados e por que não se parte logo para anulação de todos os atos dos juízes brasileiros, inclusive os dele mesmo que adora libertar corruptos?).

        E ao Estadão, ele já fala como se a Lava Jato tivesse sido sepultada: “Temos um encontro marcado – diz vitorioso - com as prisões alongadas de Curitiba, com vários desses modelos. Até hoje temos muitas discussões em torno dos acordos e tal, direito das pessoas de eventualmente se defenderem, tudo isso agora precisará ser devidamente disciplinado e regulado.”


Gilmar Mendes

19/06/2019

CARTA ABERTA A GLEEN GREENWALT


Prezado Gleen
Belíssimo trabalho, rapaz (?*), belo trabalho !


        Quanto mais leio as inconfidências que seu site The Intercept tem publicado, mais me convenço de que Deltan Dalagnol e Sérgio Moro são dois brasileiros e patriotas extraordinários que dedicaram vários anos de sua vida ao implacável e diuturno combate à corrupção!

        Quero mais, por favor não pare!

        Você já conseguiu um feito fantástico ao transformar a Lava Jato na única operação mundial de combate à corrupção com certificação desse que tem fama de ser o
mais competente hacker do mundo ! É de fazer inveja aos
italianos que executaram a Mãos Limpas!

        Por favor, não pare! Falaram até em sua extradição!
 Pura injustiça!

        Os brasileiros de bem serão eternamente agradecidos a você por ter certificado a Lava Jato e serão ainda mais
agradecidos se você continuar com o mesmo destemor a
certificar o trabalho de muitos outros brasileiros, a começar por certos ministros do STF sobre os quais recaem suspeitas fortíssimas (invencionices, é claro !) de estarem se desviando de seus nobres objetivos...


        Menciono, particularmente, o presidente do STF, Dias
Tóffoli, e os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio de Mello... Este último andou dizendo que não teme os hackers por que usa muito pouco o celular, mas o Brasil confia em que você será capaz de abrir sua caixa de ferramentas e encontrar outros meios de devassar a vida privada de Marco Aurélio de Mello...

        Entendo que está será a prioridade no Judiciário, mas
permito-me indicar-lhe outras certificações emergentes na
política, como é o caso de Renan Calheiros, Gleisi
Hoffman, Paulo Pimenta (quem sabe você descobre como foi direito aquela compra fraudulenta de 200 mil sacas de arroz na fronteira com a Argentina), Aécio Neves, José Serra, Aloysio Nunes, Beto Richa, Paulo Pimenta e Dilma Rousseff (se você descobrisse como foi o envolvimento dela e do Lula na compra pela Petrobras da sucata chamada Pasadena já faria por merecer uma estátua na Praça dos Três Poderes, em Brasília).

        Não pare, não pare e não pare, oh grande GLEEN
GREENWALT...O Brasil precisa muuuito de você !

Cordiais saudações !

Dirceu Pio
 *Por favor, não interprete a interrogação como desrespeito... é que todos sabemos que você fez, num direito seu, uma opção sexual diferente e na hora de
escrever esta fiquei em dúvida se você gosta de ser tratado por "meu rapaz" ou "minha garota"... desculpe...
GLEEN GREENWALT

08/06/2019

REDES CONTAMINADAS


Por Dirceu Pio

        O artigo em que propus que a atriz Regina Duarte seja vista como a Namorada do Novo Brasil que deve nascer ao longo da Gestão Bolsonaro foi publicado também no grupo de Facebook com o pomposo título de Jornalistas pela Democracia.

        Lá ficou por seis a oito horas até ser excluído pelos gestores por exigência dos “democratas-jornalistas-membros” cheios de indignação e ódio.

        Enquanto esteve lá, mereceu 24 comentários raivosos, entre os quais o da pernambucana Thais Fonseca que me mandou “tomar no c...”....”Dói ?”, eu lhe perguntei, ao que ela respondeu com outras grosserias ainda mais virulentas, o que me fez dar-lhe outra paulada na fuça: “...não vou discutir sexo anal com uma especialista”.

        Vários dos demais comentários me ordenavam a procurar minha turma enquanto outros atacavam Regina e o marido, o pecuarista Eduardo Lippincott, acusando os dois de invasores de terras indígenas e outras indecências mais.

E A "CRIMINOSA" REGINA

        Fiquei curioso e fui pesquisar: o “crime” de Lippincott é ser filiado à UDR de Ronaldo Caiado, pecuarista e criador de gado da raça Brahms, atividade que ele transmitiu à mulher.

        “Quem quiser conhecer quem é o casal Regina/Eduardo leia uma reportagem completa publicada pela revista Isto É/Dinheiro”, recomenda um dos “jornalistas-democratas”. Fui ler...o “crime” de Regina Duarte foi comprar, com suas economias, uma bela fazenda no município de Barretos (SP), onde cria gado Brahms e passa uma parte de seu tempo descansando e curtindo a vida no campo que ela sempre apreciou.

E VIVA O LULA

        Fiz mais: visitei página por página de Facebook de todos os “jornalistas-democratas” que me deram a honra de ler e comentar meu artigo..

        São todos militantes do Lula-Livre, fizeram campanha para o Fernando Haddad, publicam todo tipo de hostilidade a Bolsonaro e seus ministros, lutam contra a reforma da Previdência...

        Vários deles tentam eleger a Chapa 2 (?) nas eleições da nova diretoria da ABI no Rio de Janeiro e denunciam que os “bolsominions” tentam dominar a entidade...

        Tudo muito bem...estamos numa democracia e temos, inclusive, de nos acostumar com a ideia de que muitos usarão seu nome em vão...digo apenas que se mudassem o nome do grupo para  Pela Eternização da Ladroagem seria bem mais adequado...





02/06/2019

REGINA DUARTE, A NAMORADA DO NOVO BRASIL

Por Dirceu Pio

        Ela chegou aos 72 anos, leve, livre e linda! Está devidamente preparada, portanto, para ser a namorada desse novo Brasil que começou a nascer após mais de 57 milhões de brasileiros terem iniciado a transformação no histórico 2018. Um Brasil que tenta resgatar seus antigos valores – éticos, morais – que foram triturados durante 15 anos ininterruptos de domínio da esquerda corrupta e leniente....

        Não vai ser nada fácil: ela que já foi taxada de “terrorista” e “comunista” durante a exibição pela TV Globo do seriado Malu Mulher (1979), encarnando um personagem que bateu forte na subjugação da mulher, é chamada agora de “fascista” por sua adesão à liderança do capitão Jair Messias Bolsonaro.

COMEÇAR DE NOVO

        Na entrevista concedida ao meloso Pedro Bial, exibida dia 29-05, demonstrou que está em forma para “começar tudo de novo”, como exortava a trilha de Malu Mulher, uma composição de Ivan Lins e Vitor Martins.  Segundo Pedro Bial, o seriado Malu fez mais para a emancipação feminina que mil sutiãs queimados....

        Deve ter percebido que a liberdade transformava-se vorazmente em libertinagem e que por isso mesmo era preciso ajudar a eleger um conservador que fosse capaz de por um freio nos excessos...

        Bial exibiu um tape de uma entrevista antiga em que Regina e Bruna Lombardi falavam sobre o nu feminino nas revistas eróticas e ela, que não deveria ter na época sequer quarenta anos, firmava posição: “Eu nunca estive de acordo com essa história de vender meu corpo para alimentar a fantasia erótica das pessoas”...

"SOU CONSERVADORA"

        A Pedro Bial, explicou: “Sou conservadora e isto deve ter origem nas quatro pessoas que influenciaram minha formação: minha mãe, católica; meu pai, militar; e os dois diretores de arte dramática, Antunes Filho e Walter Avancini, ambos rigorosos em disciplina”. 

        Deve estar confortável ao lado de Bolsonaro, que durante o último carnaval, já no exercício da presidência e ainda convalescente da terceira cirurgia que teve de enfrentar depois do atentado sofrido em Juiz de Fora, fotografou e postou no twitter uma cena de carnaval de rua em que dois homens nus praticavam o chamado “Golden-shower” – cenas de sexo explícito em que um parceiro urina sobre o outro...

        É claro que Regina Duarte percebeu que a liberação de costumes foi longe demais... Deve concordar com a ministra Damares Alves quando tenta coibir o avanço da pedofilia (“Uma foto de criança molestada na rede vale dois mil reais e uma foto de criança violentada chega a valer 50 mil reais” – denunciou Damares em recente entrevista à revista Veja) ou a preparação de fazendas de aluguel a turistas estrangeiros para a prática de zoofilia... E há também, correndo por fora, a exportação de órgãos humanos para transplante no exterior...

APROVA O FREIO EM COSTUMES

        Regina por certo deve ter aprovado as declarações de Bolsonaro, de que o Brasil não pode ficar marcado como país de turismo gay.... ”Quer vir ao Brasil pra namorar uma mulher, fique à vontade ?; pra namorar homem, negativo”, justificou o presidente que não quer ver o Brasil transformado numa gigantesca Pattaya...  

        O melhor trecho da entrevista – e que certamente fez Fernanda Montenegro espumar de inveja – foi quando, de anotações em punho, Regina expos a Bial suas ideias – e as ideias de “pessoas modernas” com quem conversa - sobre a Lei de Incentivo à Cultura:

        - Sou a favor de uma lei de incentivo apenas para quem está iniciando uma carreira...sou a favor que o Estado não patrocine mais a cultura nos moldes atuais...tenho estado com pessoas modernas que defendem um modelo de financiamento coletivo...

        - Crowdfunding?, indagou Bial

        - Por aí... Um modelo de financiamento coletivo em plataformas digitais que captem contribuições de pessoas físicas e jurídicas de todo o país e levem os produtores culturais a prestar contas diretamente a quem financia, sem nenhuma intermediação do Estado....

        Oxalá Regina Duarte tivesse o poder de se multiplicar por dez ou por um milhão... Seríamos uma nação próspera e sadia em pouco tempo...

A namorada do novo Brasil


A Namoradinha do Brasil - Anos 1970

Em Malu Mulher, a emancipadora, anos 1980


23/05/2019

A Gigantesca Paisagem Lunar do Brasil


        Pense no gramado do Pacaembu ou num campo de futebol qualquer que você conheça; agora multiplique esse quadrado por mil, eu disse por MIL. Esse é o tamanho da área que formou durante mais de duas décadas a PAISAGEM LUNAR BRASILEIRA. Permaneceu assim, estéril, cheia de veneno, por mais de 20 anos. É o resultado da mineração a céu aberto em Siderópolis, uma graciosa cidadezinha do Sul de Santa Catarina.
         
        Foi o serviço da Marion, uma dragline utilizada pela CSN - Companhia Siderúrgica Nacional na mineração a céu aberto. A CSN retirou o minério, encheu as burras de dinheiro e se mandou. Deixou a Paisagem Lunar como testemunha de seu crime na extração do carvão mineral.
         
        É um retrato do “jeito de ser” da mineração no Brasil. O Ministério Público passou quase 20 anos brigando para conseguir que a CSN e várias outras mineradoras promovessem a reestruturação do solo, que antes da mineração era fértil.
         
        Atenção Mariana e Brumadinho(MG): a mineração do carvão no sul de Santa Catarina trouxe grandes benefícios apenas aos mineradores; os municípios ficaram com migalhas. O IDH de Santa Catarina, na média dos municípios, figura entre os mais altos do Brasil. Já nas pequenas cidades do Sul do Estado – Siderópolis, Urussanga, como exemplos  o IDH está entre o baixo e o baixíssimo. Única exceção no sul catarinense é Criciúma – IDH acima da  média do estado – mas porque o município diversificou sua indústria. A cidade tem um dos maiores pólos de cerâmica do país e também um avantajado pólo de confecções.
         
        Resumo da ópera: os municípios brasileiros que dependem da mineração para sobreviver devem inventar, urgentemente, outras fontes de renda. Não é recomendável ficar dependentes de uma só atividade especialmente se for uma atividade de mineração. Esta é capaz de matar de câncer (Paracatu - MG, Kinros), de pneumoconiose (mineração do carvão, sul de Santa Catarina), soterrar de  lama pessoas, animais, rios e matas nativas  (Mariana e todo o Vale do Rio Doce-MG) para depois ir embora com as burras cheias de dinheiro e sem se importar  com os problemas que deixa para trás. São histórias que se repetem à exaustão neste Brasil varonil.







26/04/2019

CORRA LAVA JATO, CORRA!


Por Dirceu Pio

        Aquele que foi um dos maiores escândalos da Era PT – a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas, EUA, pela Petrobras em 2006 – caminha para prescrição sem que a investigação tenha sido concluída...

        Os crimes de corrupção, passiva e ativa, prescrevem em 16 anos, de modo que a Lava Jato tem menos de três anos para fechar o inquérito e entregá-lo ao juiz federal de primeira instância... E a Sociedade Brasileira terá de contar com a celeridade da Justiça para que haja punição...

        Pasadena é uma velha refinaria localizada na cidade homônima, no Texas (EUA). Foi comprada pela Petrobras em duas operações sucessivas, a primeira em 2006 e a segunda em 2008. Os principais personagens em ambas as operações foram: o presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil do governo Lula e presidente do Conselho de Administração da Petrobras; o delator e ex-presidiário Nestor Cerveró, diretor Internacional da Estatal entre 2003 e 2008.

QUATRO BI DE PREJUÍZO

        As duas operações deram nada menos de 4 bilhões de reais de prejuízo à estatal, metade dos quais só foi compensada agora, em janeiro de 2019, já sob o governo de Jair Bolsonaro, com a venda da totalidade das ações de Pasadena à americana Chevron.

        Ainda assim, até hoje não se sabe qual o valor despendido pela Petrobras na reforma e manutenção da refinaria, que fora comprada como sucata pela belga Astra Oil em 2005 por um preço 27 vezes inferior ao pago pela Petrobras no ano seguinte... A reforma não deve ter custado pouco para despertar o interesse da exigente Chevron...

CINISMO E VILANIA

        A história da compra de Pasadena foi recheada de cinismo e vilania.

        Para entendê-la, é preciso voltar no tempo quase duas décadas. Não pode ser contada sem mencionar um outro personagem relevante da trama, o bilionário belga Albert Frère, o dono da Astra Oil, entre tantas de grande porte do setor energético mundial.

        Foi Dilma Rousseff, então ministra das Minas e Energia do governo Lula, quem introduziu Albert Frère no circuito palaciano brasileiro. Ele, que já era íntimo de Dilma, tornou-se amigo de Lula... E ficou no Planalto fazendo o que os bilionários mais sabem fazer: puxar o saco das pessoas certas, na hora certa... Deu dinheiro graúdo para a reeleição de Lula e até ajudou a financiar o filme (puxa-saquismo explícito), “Lula, o filho do Brasil”...

        E com certeza foi ali no ambiente palaciano que nasceram as primeiras tratativas da negociata que seria fechada em duas etapas... Primeiro, em 2006, com a compra da metade das ações de Pasadena e, em 2008, com a compra das ações remanescentes...

BELA "MÁ FÉ"

        A presidente do Conselho de Administração da Petrobras, a ex-guerrilheira Dilma Rousseff, autorizou ambas as transações; ao autorizar a segunda, imposta pela justiça americana, alegou que Nestor Cerveró "agiu de má fé" ao esconder do Conselho uma cláusula contratual... Segundo essa cláusula a compradora de metade da refinaria estaria obrigada a comprar a totalidade das ações caso entrasse em conflito com quem vendeu... Certamente, forjaram um conflito com a Astra para que a segunda etapa da operação fosse realizada.

        A ex-guerrilheira chegaria à Presidência da República  três anos depois, mas deve ter adorado a “má fé” de Nestor Cerveró, pois este foi mantido no topo da direção da Petrobras nos seus dois mandatos presidenciais e só foi preso pela Lava Jato em 2015,por outras falcatruas...

        Hoje, em casa com tornozeleira eletrônica, Cerveró declarou em delação premiada que a Astra Oil pagou apenas 15 milhões de dólares de propina a funcionários da Petrobras pela compra de Pasadena... Por mais essa mentira, deveria perder os benefícios da delação...


Lula, Dilma, Nestor Serveró, e Albert Frère
      



17/04/2019

DE CIDADE MARAVILHOSA A INFERNO COLORIDO


Por Dirceu Pio

        Essa Rio de Janeiro incansável na propagação de horrores já podia ser vislumbrada lá atrás, na década de 1980, durante uma visita ao Inferno Colorido!

        “Desculpe, senhor, mas lá eu não vou nem amarrado!”, “Desculpe, senhor, lá eu não entro nem por ordem do presidente da República!”, “Meu senhor, não faça isso comigo... Tenho mulher e filhos pra cuidar!”, de seis a sete taxistas do centro do Rio de Janeiro se recusaram a nos levar – eu e o fotógrafo Carlos Ruggi – ao Inferno Colorido, como era chamado um pequeno pedaço da imensa Favela da Maré, que se espalha ao longo do canal marítimo aos fundos da Ilha do Governador.

        Já estávamos quase desistindo quando um deles, depois de saber que éramos jornalistas, resolveu correr o risco. Quando chegamos ao destino, mostrou-se nervoso, tenso... Pedíamos que ele parasse num determinado ponto, mas ele ia parar uma ou duas quadras à frente... Um pé no saco...

        De repente vimos um táxi parado do lado de um pequeno prédio... Desci, fui-me informar... O táxi era do presidente da Associação dos Moradores da Favela da Maré... Propus dispensar o meu táxi para que ele passasse o dia conosco nos levando aos pontos desejados... Topou com um belo sorriso...

GRANDE "HONRA"

        Posso dizer, portanto, que tive a “honra” de conhecer o Inferno Colorido por dentro, privilégio que era dado a pouquíssimas pessoas do “mundo externo”... Seu nome, se a memória não me falha, era Olavo de Souza, um condutor prestativo e esclarecido...

        Era 1986, o ano da extinção do BNH pelo ministro do Desenvolvimento Ubano e Meio Ambiente, o paranaense Deni Lineu Schuwartz, e eu arrematava uma reportagem sobre desvios no projeto de reurbanização da Favela da Maré, financiado e executado pelo banco...

        Não existiria, portanto, um condutor melhor para nos apresentar aquele mundo tenebroso que Olavo... Enquanto dirigia,  contava:

        - Isto aqui tudo que vocês estão vendo foi resultado da realocação das famílias que moravam em palafitas fincadas no canal...

        - Por que cada casa parece ter sido pintada com cores diferentes?

        Olavo deu uma gostosa risada e contou:

        - Depois de construir essas casinhas, o BNH as entregou aos moradores sem pintura... Algum maluco lá de dentro resolveu exigir cores apropriadas para não causar a chamada monotonia da paisagem, típica dos conjuntos habitacionais populares... Os compradores encararam a exigência como uma ofensa e foram reclamar com o ministro Mário Andreazza (do Interior) numa vez que esteve aqui para entregar um lote das casas... Andreazza liberou geral e os moradores, de pirraça, resolveram pintar cada casa de cores diferentes... Foi assim que nasceu o “Inferno Colorido”...

CIEPS ABANDONADOS

        Passamos o dia vistoriando o imenso conjunto habitacional e vimos coisas realmente assustadoras: dois dos Cieps construídos por Leonel Brizola haviam sido inaugurados e abandonados porque não havia professor com coragem suficiente pra trabalhar neles... Ambos já haviam virado pontos de desova dos cadáveres que o narcotráfico não parava de produzir...

        Paramos e descemos do carro sobre uma ponte que – informava Olavo – já era obra da futura Linha Vermelha... Passava muita gente a pé pela ponte e a marca de quase todas elas era o rancor estampado no rosto com olhares que pareciam nos fuzilar... Eu mesmo sugeri sairmos logo dali... Das poucas vezes na vida que eu temi pela minha segurança e das pessoas que me acompanhavam...

        Não eram ainda quatro horas da tarde quando Olavo resolveu encerrar a corrida e o fez com um argumento irrecorrível: “A partir deste horário, eu mesmo não gosto de circular por aí... Eu também tenho mulher e filhos pra criar!”


VAMOS AGORA A MUZEMA
                 
        Chama-se Muzema a encosta num dos morros do Rio de Janeiro onde, na primeira quinzena de abril deste 2019, após chuva intensa, dois prédios desabaram, matando e ferindo gravemente mais de 20 pessoas.

        Na mesma encosta, outros três prédios estão interditados por ameaça de desabamento...

        A quase dez dias do desastre, a polícia ainda não conhece os responsáveis pela construção e nem pela administração dos prédios que pertencem à Milícia e a milicianos que já decretaram aos moradores e vizinhos: “Quem revelar o que não deve, morre!”

        Na verdade, o Rio de Janeiro é uma cidade que viveu nos últimos 40 anos - ou talvez mais - um festival de negligência, omissão, descalabro, que  a foi transformando de cidade maravilhosa numa gigantesca Muzema ou num gigantesco Inferno Colorido,  um território ocupado por milicianos, narcotraficantes, corruptos, corruptores e uma classe política, quase  sem exceções, cúmplice e incentivadora da esbórnia geral....

        No Rio de Sérgio Cabral, Garotinho e Pezão nem a Igreja Católica ficou de fora da Lava Jato: Wagner Augusto Portugal, ex-padre e ex-braço direito do cardeal-arcebispo, dom Orani Tempesta, em delação premiada denunciou o arcebispado em desvios de verbas da Saúde que totalizaram nada menos de 52 milhões de reais. Wagner era tão íntimo do cardeal que o chamava de você...
 
        E não seria impróprio dizer que a cidade tem como símbolos de seu empresariado homens impolutos como Nelson Tanure, Sergio Naya (por sorte, já falecido), Marco Antônio de Luca, Eike Batista, Fernando Cavendish, Carlos Arthur Nuzman,  Leonardo Gryner, etc. etc. ...

        Não, o Rio não podia mesmo dar certo....

Inferno Colorido - Rio de Janeiro

Favela da Maré - Rio de Janeiro


11/03/2019

SUA MAJESTADE, A TV BOLSONARO


Por Dirceu Pio

        Entenda o sentido da frase no discurso da diplomação: “O poder popular não precisa mais de intermediação”.

--------------------------------------------------------------------
-----------------------

        Jair Bolsonaro é um pouco parecido com Garrincha: finge que vai para um lado e corre para outro, deixando opositores – ou mesmo aliados, como Olavo de Carvalho – um tanto atordoados...

        Se não for assim, como entender que o guru Olavo de Carvalho tenha escrito em seu facebook frases como estas: “A mídia só alcança um por cento da população - mas é o um por cento que tem na mão o controle de todos os meios de ação” ou “Se continuar assim, esse governo não dura mais seis meses”.

        Dois erros consecutivos: a mídia a que ele se refere – certamente, a impressa – não alcança mais nada, já não tem sequer vocabulário para influenciar quem quer que seja e o governo de Jair Bolsonaro será longevo, pois não há força organizada que o ameace...

        Ah, mas no Congresso já falam em impeachment!

        Bobagem! Bolsonaro tem nada menos de 30 anos de vivência nas vísceras desse Congresso e quando deputados ou senadores forem ao moinho com o saco de milho nas costas, ele estará voltando com o fubá...

        Ah, mas as Forças Armadas não vão suportar negligência ou bagunça... Vão intervir!

        Mais e mais bobagens: Bolsonaro fez, com astúcia, a maior cooptação de militares da história da República tornando-os cúmplices de tudo o que ele fizer de certo e de errado...

BOBAGENS ATRÁS DE BOBAGENS

        Os generais já atuam no MEC exigindo o afastamento de todos os discípulos de Olavo de Carvalho? É provável que sim, mas é preciso que se entenda que, astuciosamente, Bolsonaro põe terceiros pra fazer o serviço que ele não gostaria de fazer...

        Uma força organizada importante é a Igreja Católica e já há padres e bispos que torcem contra ele!

        Mais bobagens... A Igreja não sairá tão cedo do buraco em que se enfiou com as denúncias de pedofilia contra padres, bispos e até cardeais; e além disso, Bolsonaro é apoiado pelos evangélicos que são fragmentados: se uma igreja trabalhar contra, todas as demais trabalharão a favor...

E AS REDES SOCIAIS ?

        É, mas as redes sociais podem criar um clima muito desfavorável para ele travando a evolução do governo, bloqueando as reformas, jogando cascas de banana em sua frente até criar o ambiente necessário ao impeachment...

        Outra besteira! Repare no desprezo que ele – e os filhos - parecem sentir por quase tudo o que corre por dentro da internet... Já entraram na campanha há pelo menos dois anos super-preparados para o embate nas redes, um meio que eles (especialmente o Carlos Bolsonaro) dominam como poucos no Brasil...

        Sabem que a internet é dominada – e manipulada fortemente – pelas plataformas gigantes (google, amazon, facebook, youtube) e sabem, portanto, o quanto é ilusório o poder de cada internauta, cerceado, censurado, violentado pelos algoritmos e pela fragmentação intensa da informação... Um internauta que escreva contra o governo no Facebook vai atingir no máximo 200 pessoas com seu post e isso só serve para fazê-lo pensar que é alguém influente...

FOCO NA ATENÇÃO

        Sabem que o foco na internet há bom tempo já não recai mais sobre a informação e sim sobre a atenção, o que faz que uma notícia de alcance reduzido pode ser insuflada para virar um míssil poderoso, falso como uma nota de 12 dólares...

        Mas sabem também tirar o melhor proveito da web para viabilizar seu projeto político... Bolsonaro já disse, em seu discurso na diplomação, que as novas tecnologias permitiram relação direta entre eleitor e seus representantes...

        E é exatamente essa estratégia que executam persuasivamente, Carlos por seu twitter um tanto despudorado e seu pai pela já famosa TV Bolsonaro, com programa marcado para todas as quintas-feiras às 19 horas...

        O projeto não é nada amador: exibida a sua live semanal, robôs produzem uma súmula que permite a pai e filhos saberem quais as preocupações de seus eleitores naquele momento...

        Foi com base num desses relatórios que o presidente exigiu que Sérgio Moro afastasse a cientista política llana Szabó, mesmo causando constrangimentos a seu ministro...

        Que todos respeitem, pois, Sua Majestade, a TV Bolsonaro!

        Com o tempo, todos sentiremos o quanto foi profética a fala daquele brasileirinho que viralisou na web recentemente: ´"Era pra ficar melhor, tava bom, mas tava ruim também, agora parece que piorou!"





28/02/2019

MISTÉRIOS DO CLIMA


Por Dirceu Pio

        Em 1983, eu cobri, como repórter dos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, as enchentes do Vale do Itajaí, em Santa Catarina; a população do Vale, além de flagelada, estava perplexa. Nunca ninguém tinha visto tanta chuva e tanta água represada. O rio Itajaí-Açu que corta todo o vale subira mais de 10 metros acima da caixa.

        O consenso entre as populações das cidades inundadas é que  aquela inundação era única, inaugurava um novo paradigma de enchentes no Vale. Um professor da Universidade de Blumenau convidou-me, quando as águas baixaram, para um passeio pela cidade, totalmente devastada. Ele queria mostrar-me algumas coisas, como o velho aterro da ferrovia que atravessou incólume toda aquela aguaceira; estava transformado na única avenida trafegável da cidade.

        A ferrovia fora construída pelos ingleses no século retrasado, quando já se trabalhava – há mais de cem anos – com a referência de uma enchente daquele porte ou até maior.

        Mais recentemente, como jornalista independente, eu voltei a Santa Catarina para uma longa permanência na capital, a ilha de Florianópolis. Aos fins de semana, gostava de frequentar os restaurantes da região sul da cidade.

        Num deles, havia fotos na parede – fotos aterradoras! – do mar engolindo as praias; perguntei a um garçom se sabia as razões do fenômeno e a resposta veio imediata:

        - É o aquecimento global! Com o derretimento das geleiras lá no Polo Norte, a coisa está preta...

        Perguntei a outro garçom, e a outro, perguntei ao dono do restaurante e todos pareciam ter uma resposta combinada: é o aquecimento global, o derretimento das geleiras no Polo Norte, etc etc...

        Não tive tempo de investigar o fenômeno, passei apenas pautas para os jornais locais. A Ilha parece desconhecer aquele velho e sábio dito de que o mar um dia exige de volta o espaço que lhe roubaram. Florianópolis implantou nos últimos anos vários e extensos aterros de baías e reentrâncias para ampliar o espaço para os automóveis.

       EM TUBARÃO

        Em 1976, eu conversava com um radialista de Tubarão, ao sul de Santa Catarina, e ele me contava histórias eletrizantes da enchente avassaladora de 1975. O time de futebol local iria jogar em Recife num domingo e ele transmitiria a partida. No sábado, viajou de carro para Florianópolis onde pretendia tomar o avião para o Nordeste.

        Antes das dez horas da manhã recebeu um telefonema da família que havia ficado em Tubarão. Sua mulher já lhe fazia apelos veementes para que não viajasse.

        A mulher foi atendida e outro telefonema informava que ele não podia mais regressar de carro: a ponte da BR 101, único acesso à cidade, havia sido levada pelas águas do rio Tubarão. É o dilúvio, presumiu, enquanto fretava um pequeno avião para poder voltar para casa. Para desviar-se da tormenta que encobria a cidade, o pequeno aparelho, monomotor, teve de subir à altura de jatos.

        Meteorologistas japoneses vieram depois estudar o fenômeno de Tubarão e constataram que o volume de chuva caído sobre a cidade foi absurdo, causado por uma série de coincidências climáticas simplesmente inacreditável. As chances de voltar a ocorrer algo assim é de uma em mais de 100 milhões, disse-me o radialista.

        NEM TUDO É BOM

        Quero dizer com essas histórias que “há mais mistérios entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia”; acho que a teoria do aquecimento global é reducionista e maléfica de um lado, benéfica de outro .

       Benéfica porque ajuda o mundo a reduzir as diferentes formas de poluição do ar, reducionista e maléfica porque é usada para explicar de tudo, afastando milhões de pessoas das verdadeiras causas de certos fenômenos sobre as quais poderiam agir. A preocupação em salvar o planeta ocupa em certos casos todo o tempo que deveria ser empregado em salvar o rio, a fauna, a mata, a biodiversidade.

        Já disse e repito que o país que não consegue salvar seus rios, a exemplo do que aconteceu em Mariana (MG), e mais recentemente em Brumadinho deveria ter vergonha de dizer que deseja salvar o Planeta. Quis dizer que o país investe energia, tempo e dinheiro para estudar o aquecimento global, e não se indigna com o que aconteceu em Mariana e Brumadinho, não na escala que teria de se indignar.

Brumadinho antes e depois

Mariana antes e depois

18/02/2019

TIROS NA MOSCA...


Por Dirceu Pio.

        Quando um estrangeiro lhe perguntar como vai o Governo Bolsonaro, não fale das bobagens do tipo Bebiano ou Fabrício Queiroz... Informe que Marcola e outros 21 comparsas, todos líderes do PCC, estão hoje em presídios de segurança máxima bem distantes de São Paulo...

        Se perguntar o que é o PCC, diga que é a maior organização criminosa do país e que tem hoje mais de 30 mil filiados e um domínio absoluto sobre a maioria dos presídios brasileiros... Diga que PT e PSDB capitularam diante do poder de fogo da organização... Diga que o Brasil começa a renascer com Jair Bolsonaro na Presidência, Sérgio Moro no super Ministério da Justiça e o liberal João Dória no Governo de São Paulo, com disposição para renovar o PSDB...

        E se quiser saber mais sobre o Marcola, não diga nada... Mostre o vídeo e a foto abaixo...







08/01/2019

ESTEJA PREPARADO, CAPITÃO!


Por Dirceu Pio

        Que o novo governo se acautele: vai ser bombardeado dia e noite pelas armas mais sujas e insidiosas! Não haverá trégua... Os inimigos serão implacáveis!

        Os ataques já partem de várias trincheiras – da mídia impressa quase moribunda; da mídia televisiva, salvo exceções; das mídias sociais onde já se nota união e conivência da turma do #elenão e do #lulalivre; dos serviços eletrônicos que se multiplicam em sites e blogs; das lives e transmissões ao vivo que proliferam pelo alargamento das bandas de internet...

        Já há inúmeros exemplos tanto da má vontade generalizada contra o novo governo como do poder de fogo dessa oposição que a internet ajuda a amplificar... Já é visível também o poder de manipulação da informação pelos opositores de todos os matizes...

        Quero aqui me fixar num único exemplo, sem dúvida o melhor de todos eles para comprovar tudo o que acabo de dizer: ainda o Caso Fabrício Queiroz...


A FRASE DE BOLSONARO

        O último desdobramento do caso foi provocado pelo próprio presidente Jair Bolsonaro na sua primeira entrevista à televisão (SBT) depois de empossado...

        Bolsonaro disse: “Falando aqui claro, quebraram o sigilo bancário dele (Fabrício Queiroz) sem autorização judicial, cometeram um erro gravíssimo".

        Já no dia seguinte, o G1(Portal de notícias do sistema Globo de Comunicação) largou a seguinte manchete: “É #FAKE que sigilo bancário de Fabrício Queiroz foi quebrado sem autorização judicial”...

        A manchete foi seguida por um texto tortuoso que tenta explicar o inexplicável: Bolsonaro estava certíssimo – de fato o Coaf cometeu um crime ao permitir a divulgação de um relatório com informações (apenas indícios) que recebe da rede bancária e com sigilo assegurado pelo artigo 5º da Constituição.

        O crime foi de tal modo percebido pelo novo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que ao assumir o Coaf e nomear seu novo comandante, baixou portaria proibindo a divulgação pela entidade de quaisquer informações que receba da rede bancária...

VERDADE VIRA FAKE

        Agora vejam que coisa mais suja e ardilosa: quem tiver o cuidado de conferir no “serviço” #Fato ou Fake do G1 vai encontrar a frase de Bolsonaro na condição de fake, que ela não é e nunca foi...

        O serviço #Fatou ou Fake foi lançado pelo G1 no dia 30 de julho deste ano com o propósito de identificar  as mensagens que causam desconfiança e esclarecer o que é real e o que é falso.

        A apuração será feita – informa o G1 - em conjunto por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Época, Valor, CBN, Globo News e TV Globo.

        Esqueceram de avisar os incautos que o serviço também pode servir como instrumento grosseiro de manipulação da verdade, aliás o que mais o sistema Globo sabe fazer...



31/12/2018

MANDEM RÓTULOS... UM SEMPRE PEGA!


Por Dirceu Pio

        Nazistas, fascistas, neonazistas, extrema direita, bolsonaristas, bolsonazi, bolsominions – o que mais?

        Derrotados, frustrados, inconformados, os adeptos do #elenão e do #lulalivre, por vezes unidos, usam rótulos atrás de rótulos  para tentar  definir os novos personagens que se impuseram pelo voto naquele histórico 28 de outubro de 2018.

        O rótulo serve a todos os propósitos de quem não quer aceitar a derrota: nivela por baixo o inimigo e transporta, dissimuladamente, rancor, frustração e ódio... De tanto insistir, um deles vai pegar...

        Fazem todos, os derrotados, uma péssima leitura dos dados da política... Estão convencidos de que o novo governo tem total semelhança com aquele outro, instalado em 1990, de Fernando Collor de Mello – quando um outsider foi eleito e como todo outsider, imaginam, é ave de voo curto, que deve ir ao chão na primeira tempestade...

        Como já sabem que as tempestades demorarão a aparecer, inventam algumas só para observar como o novo governo se comporta... Imaginem que a turma do #lulalivre chegou até a comemorar a “descoberta” do PC Farias do Bolsonaro – o assessor do senador Flávio, o pobre Fabrício Queiroz, que do PC Farias só tem mesmo o bigode, ainda assim só quando não faz a barba... Seria até engraçado se não fosse ridículo...

MELHOREM, MELHOREM

Que melhorem todos o senso de observação... Jair Messias Bolsonaro em quase nada se parece com Fernando Collor de Mello, a começar pela idade: enquanto o primeiro chegava ao poder máximo da República com 39 anos, o novo presidente assumirá seu posto com 63 anos e com pelo menos 30 anos de vida parlamentar.

        Mas a grande diferença está na motivação dos eleitores: Collor foi eleito como reação do eleitor à ineficácia do governo em combater a maior inflação já enfrentada pela nação, um processo que se iniciara ainda no governo militar e resistira a dois planos heterodoxos...

        Bolsonaro, não! Foi eleito com a inflação absolutamente sob controle e dentro de uma onda avassaladora de rejeição ao socialismo corrupto, em todas as suas faces e vertentes, dentro e fora do PT.


        Bolsonaro foi eleito também por uma onda, não menos avassaladora, de rejeição aos privilégios de toda espécie que toma conta das instituições, políticas, sindicais, corporativas... É como se o pote, enfim, tivesse transbordado...

ERA ÚNICO

        Bolsonaro foi eleito também porque mais de 57 milhões de eleitores enxergaram nele o único candidato capaz de combater a corrupção com firmeza e enfrentar os privilégios.

        Ah, mas afinal qual o perfil das pessoas que o apoiam? Não quero ser cínico a ponto de dizer que todos são cidadãos de bem e que tudo farão para manter a ordem e o respeito ás instituições.

        Há de tudo um pouco no balaio de apoiadores de Bolsonaro assim como houve de tudo no balaio que elegeu Lula ou Dilma. Ou entre os quase 50 milhões que ainda em 2014 votaram em Aécio Neves.

        Ninguém consegue formar uma maioria exclusivamente de santos.

        A generalização produzida por rótulos é que é sempre de má fé, quando não criminosa...